Sites Grátis no Comunidades.net
Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
Ultimas Atualizações
Início  (15-02-2017)
Notícias da Semana  (09-02-2017)
Santos  (27-08-2016)
Inter de Milão  (27-08-2016)
História da Rede Espote  (26-08-2016)
São Paulo  (23-08-2016)
Corinthians  (20-08-2016)
Liverpool  (16-08-2016)
Votação
Qual centroavante fará mais gols em 2017?
Lucas Pratto
Borja
Ricardo Oliveira
Guerrero
Ábila
Fred
Grafite
Outro
Ver Resultados

Rating: 3.8/5 (6352 votos)

ONLINE
2





Partilhe este Site...


Espote Saúde
Espote Saúde

FONTE: GloboEsporte.com/EuAtleta

Na corrida, idosos acima de 60 anos se movem de uma maneira diferente. Fisioterapeuta Raquel Castanharo fala sobre as diferenças que acontecem no corpo de um corredor sexagenário em comparação com um de 25 anos.

O número de pessoas com mais de 60 anos que praticam corrida tem crescido. Isso porque a prática desta atividade física traz muitos benefícios para os idosos, como melhor qualidade de vida e funcionamento do sistema cardiorrespiratório. Porém, o corpo de um sexagenário não é igual ao de um jovem de 25 anos e também se move de maneira diferente.

idosos correndo eu atleta (Foto: Agência Getty Images)Corredores sexagenários devem fortalecer os músculos da coxa, diz fisioterapeuta (Foto: Getty Images)

O impacto do corpo de um idoso com o solo durante a corrida é aproximadamente 20% maior do que o impacto do corpo de um jovem. Nos jovens, esse impacto fica em torno de três vezes o peso corporal. Os idosos tendem a correr com os pés mais girados para fora.

Existe uma hipótese de que esse padrão acontece porque os corredores idosos costumam sofrer com dores na parte interna do joelho, e essa posição dos pés diminuiria a sobrecarga na região. A mudança no padrão da corrida ocorre automaticamente, sem consciência por parte do corredor, sendo uma maneira que o corpo encontrou de se proteger na prática do esporte.

A força de impulsão dos corredores na casa dos 60 também é um pouco menor em comparação a dos jovens. A coluna se move menos e o quadril é mais rígido. A discussão dessas diferenças não é uma forma de desestimular a prática de corrida pelos idosos. Pelo contrário, ela é uma fonte de informação para um treinamento mais específico, para que eles corram cada vez mais e de forma saudável.

Desse modo, se torna importante o treino de absorção de impacto (com fortalecimento muscular, principalmente do músculo anterior da coxa), exercícios para mobilidade de quadril e manutenção da coluna bem ereta durante a corrida.